Archive for the Romance Category

Dona Flor e seus Dois Maridos: menage à trois à baianês

Posted in Ciclo de Cinema Histórico, Comédia, Romance on 07/04/2009 by cinemacc

dona-flor-e-seus-2-maridos-poster02

Dona Flor e seus Dois Maridos (Dona Flor e seus Dois Maridos, BRA, 110 min., 1976). Direção: Bruno Barreto. Roteiro: Bruno Barreto; Eduardo Coutinho; Leopoldo Serran. Fotografia: Murilo Salles. Música: Francis Hime; Chico Buarque de Hollanda. Elenco: Sonia Braga; José Wilker; Mauro Mendonça; Dinorah Brillanti; Nelson Xavier.

 

Premiações: BAFTA: Indicado Revelação (Sonia Braga). Golden Globes®: Indicado Filme Estrangeiro. Gramado Festival: Melhor Direção; Trilha Sonora; Prêmio do Júri Designer de Produção. Indicado Filme.

 

Sou um apreciador da literatura de Jorge Amado. Seu livro Capitães de Areia está entre os meus favoritos dos romances nacionais. A novela A morte e a morte de Quincas Berro D’Água é um dos textos mais agradáveis e engraçados que li. E os romances com foco sobre a mulher… bem, destes eu li apenas Dona Flor e seus Dois Maridos. Talvez por falta de tempo, ou por outras leituras mais urgentes, Gabriela: Cravo e Canela, Tereza Batista Cansada de Guerra e Tieta do Agreste ainda são livros que, num momento de retorno à ficção do mestre baiano, degustarei no futuro.

Mas o que me torna a tratar de Jorge é a ligação de sua obra ao cinema, no caso Dona Flor e Seus Dois Maridos, romance escrito em 1966. Não cairei no erro de dizer que o livro é infinitamente superior, até porque o filme tem qualidades próprias de sua arte. Mas cabe esclarecimentos, que minha paixão literária (talvez não tão grande quanto minha paixão cinematográfica) faz com que eu tome a liberdade de explicar.

O trabalho de Jorge Amado é um exercício de criatividade que apenas no campo literário é permitido encontrar. Logo na epígrafe temos citações que caracterizam a personalidade de cada protagonista: “Deus é gordo” (Revelação de Vadinho ao retornar da morte); “Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar” (Dístico na parede da farmácia do doutor Teodoro Madureira); “Ai!” (Suspiro de dona Flor); em meio a eles “A terra é azul” (célebre frase de Gagarin após o primeiro voo espacial, confirmando o espaço do real e da verossimilhança que adota Jorge, mesmo que faça uso do Realismo fantástico ao trazer da morte Vadinho, o mulherengo ‘incontornável’).

Só observando esses elementos, tem-se noção de que estamos diante de um retrato cômico e ao mesmo tempo tipicamente popular. A composição de uma narrativa que alterna descrições do cotidiano e cenas realistas da vida boêmia da Salvador dos anos 1940, pontuada por passagens reveladoras sobre comida e remédios (necessidades e prazeres do ser humano), acentua o tom nostálgico e ao mesmo tempo peculiar do povo Baiano.

O texto se divide em partes: a primeira revelando a morte, o velório e o enterro de Vadinho, primeiro marido de dona Flor; A segunda e terceira retrata o tempo de viuvez de Flor; A quarta, o casamento com o doutor Teodoro Madureira; E a quinta parte o conflito entre “espírito e matéria” (que o próprio Jorge Amado afirma que situações como essa somente são possíveis de acontecer na cidade da Bahia, acreditando quem quiser… e, esse humilde blogueiro, particularmente, acredita).

Dez anos depois do lançamento do livro, Bruno Barreto, em um lance comercial de mestre, lança o filme que narra a história de Vadinho, Flor e Teodoro, ao som de uma trilha sonora muito apropriada composta por Francis Hime e por Chico Buarque. Bom, para deixar claro a sinopse do filme, que segue os principais momentos do livro, é essa: Vadinho (Wilker) morre repentinamente no carnaval de 1943, deixando Dona Flor (Braga), sua mulher, desconsolada. Mas depois de um tempo, Flor casa com um farmacêutico, Teodoro Madureira (Mendonça), que é totalmente o oposto de Vadinho. Flor chama tanto pelo seu falecido marido na cama que ele acaba aparecendo.

As interpretações dos protagonistas são bastante envolventes e na medida certa das personagens. A mulher, mais uma vez, aparece como uma máquina de sexo – e Sonia Braga, no auge!, reforça essa tendência. Mas ainda assim, é-lhe permitido a escolha e a possibilidade de encontrar a felicidade completa, na afetividade, no furor carnal e nos negócios. Isso tudo revelado no cômico e no riso que tende a tornar insólito os relacionamentos, beirando a situações chanchadescas dos anos 1950, com o provocativo da pornochancada dos anos 1970.

A história, que se passa na década de 1940, pincela algumas referências aos integralistas, por exemplo, mas isso se perde no esquema de redemoinho narrativo do diretor. É preciso dizer que, ao lançar o filme em tempos de ditadura civil-militar e da pornochanchada que povoam os cinemas nacionais, contra a forte concorrência do cinema de Hollywood, o filme de Barreto é um êxito comercial de proporções antes nunca observadas para produções brasileiras. O que nos leva a conclusões talvez rasas, talvez óbvias, talvez inoportunas para o horário, talvez verdadeiras, mas certamente necessárias de serem ditas: o público expectador brasileiro aprecia boas histórias, principalmente as cômicas, com uma dose grande sexualidade à flor da pele. Confira!

Quando e Onde ver:
Dia 7 de Abril de 2009, 19h, com comentários dos acadêmicos do Curso de História (UNIFRA) Marcelo Santos Matheus e Max Pereira Ribeiro.
21º Ciclos de Cinema Histórico: Mulheres à Beira de uma Sessão de Cinema.
Auditório do CCSH – Centro; Rua Floriano Peixoto, 1184
Santa Maria, RS.
Entrada Franca

Macc Avaliação: 8

Cineclube UNIFRA: Ciclo Preto & Branco em Cores

Posted in Cineclubes, Cinema Policial, Drama, Romance on 03/04/2009 by cinemacc

Uma ótima dica de cinema nos ‘embalos’ dos sábados à tarde você pode encontrar no Cineclube UNIFRA. Este espaço de exibição, opinião e debate existe desde 2003, sempre contando com ótimos resgates de obras fundamentais da cinematografia mundial e de temas pertinentes para a sociedade.

Em abril será realizado o ciclo Preto & Branco em Cores com obras notáveis pela direção de fotografia, pelo cromatismo das películas e pelo despojamento estético dos diretores selecionados no caso Michelangelo Antonioni, Zhang Yimou e os Irmãos Coen.

O cineclube conta com a coordenação do professor e jornalista Bebeto Badke, amante da arte cinematográfica, e com a participação e organização de alunos da instituição. As sessões acontecem sempre aos sábados, 16 horas, no Salão Azul Conjunto I (Andradas, 1614) e a entrada é Franca. Maiores informações você encontra no site da UNIFRA http://www.unifra.br ou pelo e-mail nucom.unifra@hotmail.com.

Confira detalhes da programação:

04 de Abril de 2009, 16h
Il Deserto Rosso (O Deserto Vermelho)
Direção: Michelangelo Antonioni.
Itália, 1964, 116 min.
Com: Monica Vitti; Richard Harris; Carlo Chionetti; Xenia Valderi; Rita Renoir; Lili Rheims.
Sinopse: Ravenna, Itália. Nesta cidade industrial, Ugo (Chionetti), é o gerente de uma usina. Ele é casado com Giuliana (Vitti), uma dona de casa que sofre de problemas psicológicos. Numa viagem à Patagônia, ela conhece o engenheiro Zeller (Harris), o que pode mudar sua vida. O tema da incomunicabilidade está presente neste grande filme.
Premiações: Venezia Festival: Leão de Ouro; Prêmio FIPRESCI (Michelangelo Antonioni).
Macc Avaliação: 9,5

11 de Abril de 2009 *(Não haverá sessão).

18 de Abril de 2009, 16h
Shi Mian Mai Fu (O Clã das Adagas Voadoras)
Direção: Zhang Yimou.
China/Hong Kong, 2004, 119 min.
Com: Zhang Ziyi; Takeshi Kaneshiro; Andy Lau; Song Dandan.
Sinopse: No ano de 859 a China passa por terríveis conflitos. A dinastia Tang, antes próspera, está decadente. Leo (Lau) e Jin (Kaneshiro), são dois soldados que recebem a missão de matar o líder de um clã que ameaça a dinastia dominante na China. Eles elaboram um plano que conta com a participação de uma revolucionária cega (Ziyi), mas não contavam que se apaixonariam por ela.
Premiações: Academy Awards®: Indicado Fotografia. BAFTA: Indicado: Filme em Língua Estrangeira, Atriz (Zhang Ziyi), Fotografia, Figurino, Edição, Maquiagem, Efeitos Visuais, Design de Produção, Som. Golden Globes®: Indicado Filme em Língua Estrangeira.
Macc Avaliação: 8,5

25 de Abril de 2009, 16h
The Man Who Wasn’t There (O Homem que não estava lá)
Direção: Joel Coen; Ethan Coen.
Estados Unidos, 1999, 88 min.
Com: Billy Bob Thornton; Frances McDormand; Michael Badalucco; James Gandolfini; Katherine Borowitz; Jon Polito; Richard Jenkins; Tony Shalhoub; Scarlett Johansson.
Sinopse: Anos 1940, Ed Crane (Thornton) é um barbeiro infeliz, que vive com sua esposa Doris (McDormand). Ao descobrir que ela o está traindo, Ed passa então a planejar uma trama de chantagem contra ela, a fim de ensinar-lhe uma lição. Mas quando seu plano vai por água abaixo uma série de consequências desagradáveis ocorrem, incluindo vários assassinatos.
Premiações: Academy Awards®: Indicado Fotografia. BAFTA: Indicado Fotografia. Cannes Festival: Melhor Diretor (Joel Coen); Indicado Palma de Ouro. César Awards: Indicado Filme Estrangeiro. Golden Globes®: Indicado: Filme – Drama, Ator – Drama (Billy Bob Thornton), Roteiro.
Macc Avaliação: 9,5

 cineclube-unifra-2009-04

21º Ciclo de Cinema Histórico: Mulheres à beira de uma sessão de cinema

Posted in Ciclo de Cinema Histórico, Comédia, Drama, Romance on 26/03/2009 by cinemacc

21-ciclo-folder1

Antes de continuar a retrospectiva das temporadas 3 e 4 dos Ciclos de cinema Histórico, partimos para o presente. Hoje, começa mais uma jornada cinematográfica no Auditório do Centro de Ciências Sociais e Humanas na Universidade Federal de Santa Maria. A quinta temporada tem como tema de seu primeiro ciclo o universo feminino tratado sob diversos prismas.

Com o objetivo de abordar e colaborar nas discussões sobre os estudos de gênero e o papel da mulher tanto nas pesquisas quanto na sociedade contemporânea, o ciclo Mulheres à beira de uma sessão de cinema revelará particularidades que são necessárias em serem discutidas. E o cinema, enquanto história e enquanto objeto, é um dos principais veículos de comunicação que expõe, representa e caracteriza aspectos sobre o universo feminino.

Então, caros leitores deste blog, compareçam às sessões, a entrada é franca, os filmes são históricos e os comentários o de melhor.

Eis a programação completa:

26 de Março de 2009, 19h
Die Büchse der Pandora (A Caixa de Pandora)
Direção: Georg Wilhelm Pabst.
Alemanha, 1929, 110 min.
Com: Louise Brooks; Fritz Kortner; Francis Lederer; Carl Goetz; Gustav Diessl.
Comentários: Cristian Dias Barbosa.
Sinopse: Clássico do cinema mudo. Lulu (Brooks) é uma amante de um editor de jornal que, depois de casar-se com ele, acaba por provocar uma série de acontecimentos trágicos, que a partir desse momento rondarão sua vida.
Macc Avaliação: 9

30 de Março de 2009, 19h
Dark Victory (Vitória Amarga)
Direção: Edmund Goulding.
Estados Unidos, 1939, 104 min.
Com: Bette Davis; George Brent; Humphrey Bogart; Geraldine Fitzgerald; Ronald Reagan.
Comentários: Viviane Bandinelli.
Sinopse: Judith Traherne (Davis) é uma jovem rica da sociedade. Um dia, seu médico Frederick Steele (Brent) faz um terrível diagnóstico: ela tem um tumor no cérebro. Submetida a uma cirurgia, aparentemente ela se recupera. E também se apaixona pelo cirurgião. Mas Steele conta à sua secretária (Fitzgerald) que o tumor irá reaparecer e Judith poderá morrer. Ao saber disso, ela entra em profunda depressão. Mas o médico Steele tenta de todas as formas salvar a vida da jovem.
Premiações: Academy Awards®: Indicado: Filme; Atriz (Bette Davis); Trilha Sonora.
Macc Avaliação: 8,5

31 de Março de 2009, 19h
Gentleman Prefer Blondes (Os Homens Preferem as Loiras)
Direção: Howard Hawks.
Estados Unidos, 1953, 91 min.
Com: Jane Russell; Marilyn Monroe; Charles Coburn; Elliott Reid; Tommy Noonan.
Comentarista: Paula Rafaela da Silva.
Sinopse: Lorelei (Marilyn Monroe) e Dorothy (Jane Russell) são duas belas dançarinas que embarcam em um cruzeiro rumo à Paris, bancado pelo noivo de Lorelei. Porém, seu sogro contrata um detetive particular para tentar confirmar sua desconfiança de infidelidade da moça, criando inúmeras situações confusas.
Macc Avaliação: 9

1º de Abril de 2009, 19h
Siamo Donne (Nós, as Mulheres)
Direção: Luchino Visconti; Roberto Rossellini; Gianni Franciolini; Alfredo Guarini; Luigi Zampa.
Itália, 1953, 95 min.
Com: Ingrid Bergman; Anna Magnani; Isa Miranda; Alida Valli; Anna Amendola.
Comentários: Cristine Zanella.
Sinopse: O roteirista Cesare Zavattini idealizou esse divertido filme em episódios que mostra atrizes famosas interpretando a si mesmas em situações cotidianas: ‘Quatro Atrizes: uma esperança’ mostra os bastidores de um concurso de moças que sonham em se tornarem em atrizes de cinema; Alida Valli tenta seduzir o noivo de sua camareira; Ingrid Bergman é mostrada em suas atividades cotidianas: cuidando dos filhos, preparando o almoço e recebendo visitas; Isa Miranda lamenta o fato de ter abdicado à maternidade, para se dedicar à carreira de atriz; Anna Magnani briga com um taxista, por causa de seu cachorrinho de estimação.
Macc Avaliação: 8

02 de Abril de 2009, 19h
Johnny Guitar (Johnny Guitar)
Direção: Nicholas Ray.
Estados Unidos, 1954, 110 min.
Com: Joan Crawford; Sterling Hayden; Mercedes McCambridge; Scott Brady; Ward Bond; Ben Cooper; Ernest Borgnine; John Carradine.
Comentários: Natacha Käfer.
Sinopse: Dona de um saloon (Crawford) vê suas esperanças renascerem com a possibilidade de a ferrovia passar próximo ao seu comércio. Mas ela tem de resolver um problema: a hostilidade do xerife local e os capangas de sua inimiga mortal (McCambridge), uma fazendeira que a quer fora da cidade. Para enfrentar as adversidades, numa luta sangrenta que está por começar, ela conta com a ajuda do antigo amor Johnny Guitar (Hayden), músico e pistoleiro.
Macc Avaliação: 9

03 de Abril de 2009, 19h
Et Dieu… Créa la Femme (… E Deus Criou a Mulher)
Direção: Roger Vadim.
França/Itália, 1956, 95 min.
Com: Brigitte Bardot; Curd Jürgens; Jean-Louis Trintignant; Jane Marken; Jean Tissier.
Comentários: Marlete Golke; Vinicius Bertolo.
Sinopse: Juliett (Bardot) é uma garota órfã de 18 anos, sedenta de prazer. Seu marido Michel (Trintignant) fará de tudo para controlá-la, mas esta não será uma tarefa fácil.
Macc Avaliação: 8,5

07 de Abril de 2009, 19h
Dona Flor e seus Dois Maridos (Dona Flor e seus Dois Maridos)
Direção: Bruno Barreto.
Brasil, 1976, 110 min.
Com: Sonia Braga; José Wilker; Mauro Mendonça; Dinorah Brillanti; Nelson Xavier.
Comentários: Marcelo Santos Matheus; Max Pereira Ribeiro.
Sinopse: Vadinho (Wilker) morre repentinamente no carnaval de 1943, deixando Dona Flor (Braga), sua mulher, desconsolada. Mas depois de um tempo, Flor casa com um farmacêutico, Teodoro Madureira (Mendonça), que é totalmente o oposto de Vadinho. Flor chama tanto pelo seu marido na cama que o finado aparece.
Premiações: BAFTA: Indicado Revelação (Sonia Braga). Golden Globes®: Indicado Filme Estrangeiro. Gramado Festival: Melhor Direção; Trilha Sonora; Prêmio do Júri Designer de Produção. Indicado Filme.
Macc Avaliação: 8

08 de Abril de 2009, 19h
The Hours (As Horas)
Direção: Stephen Daldry.
Estados Unidos/Inglaterra, 2002, 114 min.
Com: Nicole Kidman; Julianne Moore; Meryl Streep; Stephen Dillane; Miranda Richardson; John C. Reilly; Toni Collette; Ed Harris.
Comentarista: Lenine Ribas Maia.
Sinopse: 1929. Virginia Woolf (Kidman) está começando a escrever seu livro, “Mrs. Dalloway”, sob os cuidados de seus médicos e familiares. 1951. Laura Brown (Moore) está preparando algo para o aniversário de seu marido. Entretanto, encontra-se ocupada pois está lendo o livro escrito por Virginia, o mesmo “Mrs. Dalloway”. 2001. Clarissa Vaughn (Streep) está preparando uma festa para seu melhor amigo (Harris), um famoso autor que está morrendo de AIDS. Sendo tomada em apenas um dia, todas as três histórias estão interligadas com o livro mencionado: cada qual de uma maneira intrigantemente distinta.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Atriz (Nicole Kidman). Indicado: Filme; Diretor; Figurino; Edição; Ator Coadjuvante (Ed Harris); Atriz Coadjuvante (Julianne Moore); Trilha Sonora; Roteiro Adaptado. BAFTA: Melhor Atriz (Nicole Kidman); Trilha Sonora. Indicado Filme; Filme Britânico; Edição; Maquiagem; Roteiro Adaptado; Ator Coadjuvante (Ed Harris); Atriz Coadjuvante (Julianne Moore); Atriz Coadjuvante (Meryl Streep); Diretor. Berlin Festival: Prêmio do Júri dos leitores de ‘Berliner Morgenpost’ (Stephen Daldry); Urso de Prata (Nicole Kidman; Meryl Streep; Julianne Moore). Indicado: Urso de Ouro. César Awards: Indicado Filme Estrangeiro. Golden Globes®: Melhor Filme – Drama; Atriz (Nicole Kidman). Indicado: Diretor; Roteiro; Trilha Sonora; Ator Coadjuvante (Ed Harris); Atriz Coadjuvante (Meryl Streep). Grammy: Indicado Trilha Sonora.
Macc Avaliação: 9,5

09 de Abril de 2009, 19h
Volver (Volver)
Direção: Pedro Almodóvar.
Espanha, 2006, 121 min.
Com: Penélope Cruz; Carmen Maura; Lola Dueñas; Blanca Portillo; Yohana Cobo; Antonio de la Torre; Chus Lampreave.
Comentarista: Guilherme Rodrigues Passamani.
Sinopse: Raimunda (Cruz), que trabalha como faxineira no aeroporto de Madri para sustentar o marido desempregado e a filha adolescente. Sole (Dueñas), sua irmã mais velha, trabalha em casa, onde instalou um salão de beleza. Ambas visitam rotineiramente o túmulo da mãe Irene (Maura), que morreu em um incêndio causado pelo calor e pelos fortes ventos da região. Certo dia, Irene reaparece. Inicialmente, só Sole a vê, mas na verdade é com Raimunda que ela tem assuntos pendentes a acertar.
Premiações: Academy Awards®: Indicado Atriz (Penélope Cruz). BAFTA: Indicado Atriz (Penélope Cruz); Filme Estrangeiro. Cannes Festival: Melhor Elenco Feminino; Roteiro. Indicado Palma de Ouro. César Awards: Indicado Filme Estrangeiro. Golden Globes®: Filme Estrangeiro; Atriz (Penélope Cruz).
Macc Avaliação: 8

 ciclo-21

8º Ciclo de Cinema Histórico: Dos tomos às telas

Posted in Ciclo de Cinema Histórico, Cinema de Guerra, Drama, Romance on 12/03/2009 by cinemacc

vii-ciclo1

O que é melhor o filme ou o livro? Pensando nesta pergunta o oitavo ciclo levou às telas umas programação repleta de grandes filmes baseados em importantes livros da literatura mundial (como obras de Dostoievski, Mann, Kafka, Dickens, Shakespeare) e em obras de diferentes gêneros e estilos literários (Teatro, Romance, Jornalístico, Novela, Biografia).Ao pensar a resposta para a pergunta, avaliamos a importância de trazer filmes dirigidos por cineastas de renome como Kurosawa, Olivier, Ford, Lean e Welles para dar relevância a uma idéia comparativa entre livro e filme.

Evidentemente que se tratam de dois diferentes suportes artísticos. Cinema e literatura possuem cada qual suas características criativas e estilísticas próprias de cada arte. Mas sempre cabe ao leitor/espectador tecer sua fruição e comparar, quando do conhecimento de ambas, a fidelidade cinematográfica da adaptação de um livro.

A média de público foi de 37 pessoas por sessão. E a qualidade da grande maioria dos filmes apenas serviu para reforçar a idéia de que cinema e literatura podem ser usufruídas da melhor forma possível, quando o apreciador sabe captar e avaliar cada uma de sua maneira, sem preconceitos ou julgamentos de valor prévios.

Abaixo a programação:

23 de Novembro de 2006, 19h
Olga (Olga)
Direção: Jayme Monjardim.
Brasil, 2004, 140 min.
Com: Camila Morgado; Caco Ciocler; José Dumont; Eliane Giardini; Mariana Lima; Jandira Martini; Fernanda Montenegro; Guilherme Weber; Floriano Peixoto; Osmar Prado.
Comentários: Rafael Fantinel Lameira.
Sinopse: Baseado no livro de Fernando Morais. A obra é centrada na trajetória da judia alemã Olga Benário, da sua história de amor com Luís Carlos Prestes à sua luta coletiva por justiça social no Brasil. Mas sua história é marcada pela Segunda Guerra, e pela intervenção brasileira na sua deportação.
Macc Avaliação: 6

24 de Novembro de 2006, 19h
Policarpo Quaresma, Herói do Brasil (Policarpo Quaresma, Herói do Brasil)
Direção: Paulo Thiago.
Brasil, 1988, 124 min.
Com: Paulo José; Giulia Gam; Chico Díaz; Bete Coelho; Ilya São Paulo; Antonio Calloni; Othon Bastos; José Lewgoy.
Comentários: Roberto Borges Lisboa.
Sinopse: Baseado na obra de Lima Barreto. O major Policarpo Quaresma é um visionário patriota que deseja ver seu pais tão grandioso pode ser. A sua luta se inicia no Congresso e tem o apoio de sua afilhada Olga por quem nutre um afeto especial e Ricardo Coração dos Outros trovador e compositor de modinhas que conta a história desse herói do Brasil.
Macc Avaliação: 5

29 de Novembro de 2006, 19h
Great Expectations (Grandes Esperanças)
Direção: David Lean.
Inglaterra, 1946, 118 min.
Com: John Mills; Jean Simmons; Valerie Hobson; Alec Guinness; Tony Wager.
Comentários: Sonia Maria Cassol.
Sinopse: Baseado no romance de Charles Dickens. A história de um órfão (Mills) às voltas com a bela e fria Estella (Simmons), criada por uma senhora cruel que busca vingança contra os homens por ter sido abandonada à beira do altar.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Direção de Arte em Preto-e-Branco; Fotografia em Preto-e-Branco. Indicado: Filme; Diretor; Roteiro.
Macc Avaliação: 8

30 de Novembro de 2006, 19h
The Chronicle History of King Henry the Fifth with His Battell Fought at Agincourt in France (Henrique V)
Direção: Laurence Olivier.
Inglaterra, 1946, 133 min.
Com: Laurence Olivier; Leslie Banks; Harcourt Williams; Michael Shepley; Felix Aylmer; Robert Helpmann.
Comentários: Alexandre Maccari Ferreira; Júlio Ricardo Quevedo dos Santos.
Sinopse: Baseado em peça homônima de William Shakespeare. A obra é um épico-teatral que narra um episódio heróico na vida do Rei Henrique V: sua trajetória revela a pequena expedição que lutou em Angicourt contra a resistência francesa, na reivindicação do rei pela coroa da França.
Premiações: Academy Awards®: Prêmio Honorário (Laurence Olivier). Indicado: Filme; Ator (Laurence Olivier); Direção de Arte em Cores; Trilha Sonora.
Macc Avaliação: 8,5

1º de Dezembro de 2006, 19h
Le Procès (O Processo)
Direção: Orson Welles.
França/Itália/Alemanha/Iugoslávia, 1962, 119 min.
Com: Anthony Perkins; Jeanne Moreau; Romy Schneider; Elsa Martinelli; Suzanne Flon; Orson Welles.
Comentários: Adriano Sá Brito.
Sinopse: Baseado em obra de Franz Kafka. Numa certa manhã, um homem é preso e acusado de um estranho crime que não cometeu. A partir desse momento Joseph K. passa por uma série de provações em busca do entendimento do que lhe ocorrera.
Macc Avaliação: 8,5

11 de Dezembro de 2006, 19h
In Cold Blood (À Sangue Frio)
Direção: Richard Brooks.
Estados Unidos, 1967, 134 min.
Com: Robert Blake; Scott Wilson; John Forsythe; Paul Stewart; Gerald S. O’Loughlin; Jeff Corey.
Comentários: Daniel Paim.
Sinopse: Baseado no romance jornalístico de Truman Capote. O filme revela a história real do brutal assassinato da família Clutter no Kansas, em 1959, explorando a personalidade dos dois assassinos e os motivos que os levaram a cometer tal crime.
Premiações: Academy Awards®: Indicado: Diretor; Roteiro – Adaptado; Fotografia; Trilha Sonora. Golden Globes®: Indicado: Filme – Drama.
Macc Avaliação: 8

12 de Dezembro de 2006, 19h
Morte a Venezia (Morte em Veneza)
Direção: Luchino Visconti.
Estados Unidos/Itália, 1971, 130 min.
Com: Dirk Bogarde; Romolo Valli; Mark Burns; Nora Ricci; Marisa Berenson; Carole André; Silvana Mangano.
Comentários: Francele Cocco.
Sinopse: Baseado na obra de Thomas Mann. Gustav Aschenbach (Bogarde) é um compositor que está passando férias no exterior quando vive uma grande e secreta paixão, que modifica os rumos de sua vida.
Premiações: Academy Awards®: Indicado: Figurino. BAFTA: Melhor Figurino; Fotografia; Direção de Arte; Trilha Sonora. Indicado: Filme; Diretor; Ator (Dick Bogarde). Cannes Festival: Prêmio Especial do Aniversário de 25 anos do Festival (Luchino Visconti). Indicado Palma de Ouro.
Macc Avaliação: 8

13 de Dezembro de 2006, 18h20min.
Apocalypse Now Redux (Apocalypse Now Redux)
Direção: Francis Ford Coppola.
Estados Unidos, 1979, 202 min.
Com: Marlon Brando; Martin Sheen; Robert Duvall; Frederic Forrest; Sam Bottoms; Laurence Fishburne; Harrison Ford; Dennis Hopper; Scott Glenn; Albert Hall.
Comentários: Uiliam Ferreira Boff.
Sinopse: Inspirado no romance no Coração das Trevas, de Joseph Conrad. Esta versão possui 49 minutos adicionais da versão original. Capitão Willard (Sheen) recebe uma missão: matar um insano desertor, o Coronel Kurtz (Brando), que preparou uma tropa para atacar os próprios americanos.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Fotografia; Som. Indicado: Filme; Diretor; Edição; Ator Coadjuvante (Robert Duvall); Roteiro – Adaptado; Direção de Arte. BAFTA: Melhor Diretor; Ator Coadjuvante (Robert Duvall). Indicado: Filme; Ator (Martin Sheen); Fotografia; Edição; Design de Produção; Trilha Sonora. Cannes Festival: Palma de Ouro; Prêmio FIPRESCI (Francis Ford Coppola). César Awards: Indicado Filme em Língua Estrangeira. Golden Globes®: Melhor Diretor; Ator Coadjuvante (Robert Duvall); Trilha Sonora. Indicado: Filme – Drama. Grammy: Indicado Trilha Sonora.
Macc Avaliação: 9,5

14 de Dezembro de 2006, 19h
Hakuchi (O Idiota)
Direção: Akira Kurosawa.
Japão, 1951, 166 min.
Com: Toshirô Mifune; Setsuko Hara; Masayuki Mori; Takashi Shimura; Yoshiko Kuga; Chieko Higashiyama.
Comentários: Carlos Henrique Armani.
Sinopse: Baseado em obra de Dostoievski. Kameda (Mori) viaja para Hokkaido, onde envolve-se com duas mulheres, Taeko (Hara) e Ayako (Kuga). Taeko passa a amar Kameda, mas esta é amada por Akama (Mifune). Quando Akama percebe que nunca terá Taeko, seus pensamentos viram-se para o assassinato, e uma grande tragédia se monta. Filme complexo, mas representativo.
Macc Avaliação: 8,5

15 de Dezembro de 2006, 19h
The Grapes of Wrath (As Vinhas da Ira)
Direção: John Ford.
Estados Unidos, 1940, 129 min.
Com: Henry Fonda; Jane Darwell; John Carradine; Charley Grapewin; Dorris Bowdon; Russell Simpson; O.Z. Whitehead;
Comentários: Alexandre Maccari Ferreira
Sinopse: Baseado na obra de John Steinbeck. Uma família de trabalhadores rurais pobre durante a Grande Depressão de 1929, foge em busca de oportunidades de uma vida melhor. Tom Joad (Fonda), após cumprir pena, chefia a família de Oklahoma à Califórnia, onde dizem ser um lugar mais próspero e de maiores oportunidades. Durante a viagem eles se deparam com a nova realidade, ao mesmo tempo que descobrem que o lugar onde estão indo pode ser pior do que o que deixaram para trás.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Diretor; Atriz Coadjuvante (Jane Darwell). Indicado: Filme; Ator (Henry Fonda); Edição; Roteiro; Som.
Macc Avaliação: 9,5

ciclos-8

No próximo post o nono ciclo de cinema: animados pela história.