Archive for the Cinema de Guerra Category

23º Ciclo de Cinema Histórico: Sessões “D” Segunda Guerra

Posted in Ciclo de Cinema Histórico, Cinema de Guerra, Drama on 15/05/2009 by cinemacc

ciclo 23 folder

Primeiramente minhas desculpas àqueles que acompanham este blog pela ausência de posts. Mas, às vezes, a falta de inspiração, tempo e organização acabam chocando-se com resultados como este: o desaparecimento sem justificativas do mundo virtual.

Felizmente quase tudo é reparável em se tratando de mídia. E postamos aqui com certa defasagem a notícia do XXIII Ciclo de Cinema Histórico: Sessões “D” Segunda Guerra, que será realizado no Auditório do CCSH-Centro, entre os meses de Maio e Julho, com entrada franca e com certificados aos participantes de 75% do evento.

Tal como os Estados Unidos que adentrou na Segunda Guerra apenas após sofrer danos bélicos e logísticos (pelo menos essa é justificativa atribuída cinematograficamente e historicamente a entrada norte-americana no conflito), aqui no blog também divulgamos o evento apenas quando o Tio Sam levantou-se e caminhou para os campos de batalha…

Claro que os filmes selecionados são obras que contemplam muito mais do que apenas revelar a ação dos Estados Unidos. Buscando em um perspectiva histórica do conflito, desde o início da década de 1930 até o posterior ataque à Nagasaki e Hiroshima, as obras revelam uma guerra em cada um, seja pela  propaganda, seja pela ficção patriótica, seja pelo retrato histórico de táticas de combate, seja pelo filme pacifista, seja pelo que for, a seleção alcança o cerne da questão Segunda Guerra Mundial enquanto cinema histórico e enquanto entretenimento.

O ciclo tem como objetivo pretende, a partir de uma perspectiva histórica dos eventos da Segunda Grande Guerra Mundial, procurando cumprir com uma sequência cinematográfica de obras de propaganda, documentários e ficção que contemplem, os principais momentos dessa guerra, diversificando as propostas estéticas e temáticas dos produtores e compondo um cenário adequado das relações entre cinema e guerra.

“A maior glória de uma guerra é sobreviver a ela”, essas palavras do diretor e ex-combatente da Segunda Guerra Mundial Samuel Fuller são um retrato do quanto a história de uma guerra é suja, repleta de dor, perda e desumanidade que em muitos casos ficam sob o véu frio das estatísticas ou como uma visão meramente político-econômico em que o homem é uma peça de um jogo em que conhecer o vencedor geralmente não possui glória alguma.

MAIO
11 de Maio de 2009, 19h15min, segunda-feira
Tag der Freiheit – Unsere Wehrmacht (O dia da liberdade)
Direção: Leni Riefenstahl
Alemanha, 1935, P&B, 15 min.
Com: Adolf Hitler, Rudolf Hess, Hermann Göring, Werner von Blomberg, Werner von Fritsch.
O filme: “Registro em curta-metragem de propaganda nazista, com cenas de revista das tropas nazistas.”
Macc Avaliação: 7,5

11 de Maio de 2009, 19h30min, segunda-feira
Prelude to War (Prelúdio de uma guerra)
Direção: Frank Capra; Anatole Litvak
Estados Unidos, 1943, P&B, 53 min
Com: Walter Huston (narrador), Anthony Veiller (narrador), Benito Mussolini, Adolf Hitler, Hirohito, Max Schmeling.
O filme: “Documentário de propaganda anti-fascista, mas principalmente alinhada a ideologia liberal norte-americana, que relata o avanço de Itália, Japão e Alemanha antes da eclosão ‘oficial’ do conflito.”
Premiações: Academy Awards®: Melhor documentário.
Comentários: Juliano Luis Palm
Macc Avaliação: 8,5

12 de Maio de 2009, 19h, terça-feira
Battle of Britain (A batalha britânica)
Direção: Guy Hamilton
Inglaterra, 1969, Color, 133 min.
Com: Michael Caine, Trevor Howard, Curd Jürgens, Ian McShane, Laurence Olivier, Christopher Plummer, Robert Shaw.
O filme: “Quando a Luftwaffe alemã bombardeia a Inglaterra tem início uma das mais importantes batalhas aéreas da Segunda Guerra, em que Real Força Aérea, em inferioridade numérica, desafiou a lógica, enfrentando o poder nazista.”
Premiações: BAFTA: Indicado Trilha para filme.
Comentários: Rondon de Castro
Macc Avaliação: 8

13 de Maio de 2009, 19h, quarta-feira
You, John Jones! (Você, John Jones)
Direção: Mervyn LeRoy
Estados Unidos, 1943, P&B, 10min
Com: James Cagney, Ann Sothern, Margaret O’Brien.
O filme: “Curta-Metragem de propaganda aliada. Trabalhador cuida da segurança de uma cidade norte-americana, quando vê a guerra chegando à sua terra, pondo em risco sua família.”
Macc Avaliação: 8

13 de Maio de 2009, 19h15min, quarta-feira
Cross of Iron (Cruz de Ferro)
Direção: Sam Peckinpah
Inglaterra/Alemanha, 1977, Color, 132 min.
Com: James Coburn, Maximilian Schell, James Mason, David Warner, Klaus Löwitsch.
O filme: “A obsessão de um comandante prussiano que busca a Cruz de Ferro para manter a honra de sua família e a luta dos soldados alemães pela sobrevivência no front soviético são caminhos que apenas o cinema de Peckinpah poderia percorrer de forma consciente.”
Comentários: José Iran Ribeiro
Macc Avaliação: 9

14 de Maio de 2009, 19h, quinta-feira
Idi i Smotri (Vá e veja)
Direção: Elem Klimov
União Soviética, 1977, Color/P&B, 142 min.
Com: Aleksei Kravchenko, Olga Mironova, Liubomiras Lauciavicius, Vladas Bagdonas.
O filme: “Obra sensível e selvagem que narra a trajetória Florya, um jovem separado de seus comandantes durante a Segunda Guerra Mundial, no front soviético. Filme impressionante; uma poesia sobre dor e perda”
Comentários: Paulo Aukar
Macc Avaliação: 10

15 de Maio, 19h, sexta-feira
From Here to Eternity (A um passo da eternidade)
Direção: Fred Zinnemann
Estados Unidos, 1953, P&B, 118 min.
Com: Burt Lancaster, Montgomery Clift, Deborah Kerr, Donna Reed, Frank Sinatra.
O filme: “Talvez o beijo mais famoso da história do cinema, atuações brilhantes e roteiro interessante que revela o que se passava em Pearl Harbor antes do ataque japonês. O ato ficou conhecido pela infâmia e o filme pela inspiração dos realizadores.”
Premiações: Academy Awards®: Melhor Filme, Diretor, Roteiro, Ator Coadjuvante (Frank Sinatra), Atriz Coadjuvante (Donna Reed), Edição, Fotografia em Preto e Branco Som. Indicado: Ator (Montgomery Clift), Ator (Burt Lancaster), Atriz (Deborah Kerr), Trilha sonora, Figurino em Preto e Branco. BAFTA: Indicado: Filme Estrangeiro. Cannes Festival: Prêmio Especial (Fred Zinnemann). Indicado ao Grande Prêmio do Festival. Golden Globes®: Melhor Diretor, Ator Coadjuvante (Frank Sinatra).
Comentários: Jair Alan
Macc Avaliação: 9

JUNHO
04 de Junho de 2009, 18h50min, quinta-feira
Der Fuhere’s Face (Vida de nazista)
Direção: Jack Kinney
Estados Unidos, 1942; Color; 8 min.
Com: Clarence Nash (Voz).
O filme: “Curta-metragem e propaganda de animação, que revela a exploração do trabalhador e do cidadão nazista a partir do protagonista Pato Donald.”
Premiações: Academy Awards®: Melhor Curta Metragem de Animação.
Macc Avaliação: 10

04 de Junho de 2009, 19h, quinta-feira
Enemy at the Gates (Círculo de fogo)
Direção: Jean-Jacques Annaud
Estados Unidos/Alemanha/Inglaterra/Irlanda, 2001, Color, 131 min.
Com: Jude Law, Ed Harris, Rachel Weisz, Joseph Fiennes, Bob Hoskins, Ron Perlman.
O filme: “A batalha de Stalingrado, pelos olhos ocidentais. Em 1942, os nazistas invadem a União Soviética de maneira brutal. Até chegar a Stalingrado, que resiste. Enquanto a cidade arde em chamas, dois soldados inimigos começam uma guerra particular por coragem, honra e pela Nação.”
Comentários: Sérgio Prieb
Macc Avaliação: 8

05 de Junho de 2009, 18h, sexta-feira
D-day Revisited (O dia D revisitado)
Direção: Darryl F. Zanuck
Estados Unidos, 1968, Color/P&B, 51min.
Com: Darryl F. Zanuck.
O filme: “Documentário dirigido pelo famoso produtor hollywoodiano Darryl F. Zanuck, que já havia produzido o importante ‘O mais longo dos dias’ (exibido no Segundo Ciclo de Cinema). Imagens raras de arquivo e muito patriotismo em questão.”
Macc Avaliação: 8

05 de Junho de 2009, 19h, sexta-feira
D-day the Sixth of June (O dia D)
Direção: Henry Koster
Estados Unidos, 1956, Color, 106 min.
Com: Robert Taylor, Richard Todd, Dana Wynter, Edmond O’Brien, John Williams.
O filme: “Dois oficiais estão na linha de frente em 6 de junho de 1944, na invasão da Normandia. E como ambos estão apaixonados pela mesma mulher, o dia da luta também determinará qual dos dois voltará para os braços da amada.”
Comentários: Neandro Vieira Thesing
Macc Avaliação: 8,5

08 de Junho de 2009, 19h, segunda-feira
Five Graves to Cairo (Cinco covas no Egito)
Direção: Billy Wilder
Estados Unidos, 1944, P&B, 96 min.
Com: Franchot Tone, Anne Baxter, Akim Tamiroff, Erich von Stroheim, Peter van Eyck.
O filme: “Junho, 1942. Os ingleses são derrotados pelo general Rommel no Egito, deixando para trás John Bramble, um militar que se refugia em um hotel, que se torna um centro de operações alemãs. A Inglaterra depende de John que, assumindo uma identidade falsa, passa a tentar descobrir os planos nazistas. Ótimo filme de ficção produzido no calor da guerra.”
Premiações: Academy Awards®: Indicado: Edição, Direção de Arte em Preto e Branco, Fotografia em Preto e Branco.
Comentários: André Fertig
Macc Avaliação: 8,5

09 de Junho de 2009, 18h30min, terça-feira
The Big Red One (Agonia e glória)
Direção: Samuel Fuller
Estados Unidos, 1980, P&B/Color, 160 min.
Com: Lee Marvin, Mark Hamill, Robert Carradine, Bobby Di Cicco, Kelly Ward, Stéphane Audran, Siegfried Rauch.
O filme: “Filme emblemático. Um sargento conduz seu pelotão lutando desde o Norte da África até a Normandia, cruzando toda a Europa. A obra funciona como o diário de combate do esquadrão, mostrando como se lutou, como se suou e sangrou na guerra e, talvez, como foi possível sobreviver a ela.”
Premiações: Cannes Festival: Indicado Palma de Ouro.
Comentários: Tales Henrique Albarello
Macc Avaliação: 10

10 de Junho de 2009, 18h30min, quarta-feira
The Bridge on the River Kwai (A ponte do rio Kwai)
Direção: David Lean
Inglaterra/Estados Unidos, 1957, Color, 161 min.
Com: William Holden, Alec Guinness, Jack Hawkins, Sessue Hayakawa, James Donald, Geoffrey Horne.
O filme: “Front asiático. O Japão reina sobre um grande território. A obra focaliza as tensões surgidas em um campo de prisioneiros britânicos que são obrigados a construir um ponte sobre o rio Kwai. A trilha sonora de Maurice Jarre é excepcional e inesquecível, assim como o conjunto da obra.”
Premiações: Academy Awards®: Melhor Filme, Diretor, Ator (Alec Guinness), Fotografia, Edição, Trilha sonora, Roteiro. Indicado: Ator Coadjuvante (Sessue Hayakawa). BAFTA: Melhor Filme, Filme Britânico, Ator (Alec Guinness), Roteiro Britânico. Golden Globes®: Melhor Filme – Drama, Diretor, Ator – Drama (Alec Guinness). Indicado: Ator Coadjuvante (Sessue Hayakawa). Grammy: Indicado Trilha Sonora.
Comentários: Camila dos Santos
Macc Avaliação: 9

JULHO
1º de Julho de 2009, 18h, quarta-feira
Broken Silence: Algunos que Vivieron (Rompendo o silêncio: Alguns que viveram)
Direção: Luis Puenzo
Argentina/Estados Unidos, 2002, P&B/Color, 55 min.
Com: Jack Fuchs, Liza Zajak-Novera, Robert Lamberg, Benjamin Mehl, Alejandro Horvath.
O filme: “Este filme faz parte de uma série de cinco documentários sobre o Holocausto. Produzido por Steven Spielberg o filme de Luis Puenzo é um emocionante retrato dos horrores da Segunda Grande Guerra sob o ponto de vista de quem o vivenciou de perto e sobreviveu para alertar o mundo.”
Comentários: Fabricio Flores Fernandes
Macc Avaliação: 8,5

1º de Julho de 2009, 19h30min, quarta-feira
Rádio Auriverde (Rádio auriverde)
Direção: Sylvio Back
Brasil, 1990, P&B, 70 min.
Com: Imagens de arquivo e transmissões de rádio.
O filme: “Documentário que, a partir de imagens, fotos e sons, procura revelar a participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Itália, valendo-se do deboche e da crítica em relação a real contribuição do Brasil e da aproximação com os Estados Unidos.”
Comentários: Oscar de Oliveira Siqueira
Macc Avaliação: 8

02 de Julho de 2009, 19h, quinta-feira
Paisà (Paisá)
Direção: Roberto Rossellini
Itália, 1946, P&B, 134 min.
Com: Carmela Sazio, Robert Van Loon, Dots Johnson, Alfonsino Pasca, Maria Michi, Harriet Medin.
O filme: “Obra do neo-realismo italiano que cobre o período da invasão aliada de 1943 até o inverno de 1944, na Itália. O humanismo do filme é revelado a partir de dramas pessoais, de acertos e enganos estratégicos e da aproximação entre o natural e ficcional em Rossellini.”
Premiações: Academy Awards®: Indicado Roteiro. BAFTA: Indicado Filme Estrangeiro.
Comentários: Glaucia Vieira Ramos Konrad
Macc Avaliação: 9

03 de Julho de 2009, 19h, sexta-feira
Gembaku no ko (Filhos de Hiroshima)
Direção: Kaneto Shindo
Japão, 1952, P&B, 97min
Com: Nobuko Otowa, Osamu Takizawa, Niwa Saito.
O filme: “Obra-prima do cinema ‘poético’ japonês que revela a vida de pessoas simples depois do horror da Segunda Guerra em Hiroshima. Um filme produzindo ainda sob o impacto da bomba que ressoa até hoje na memória”.
Premiações: BAFTA: Melhor Filme Estrangeiro; Cannes Festival: Indicado ao Grande Prêmio do Festival.
Comentários: Rodrigo Lopes
Macc Avaliação: 9

23 Ciclo

Anúncios

8º Ciclo de Cinema Histórico: Dos tomos às telas

Posted in Ciclo de Cinema Histórico, Cinema de Guerra, Drama, Romance on 12/03/2009 by cinemacc

vii-ciclo1

O que é melhor o filme ou o livro? Pensando nesta pergunta o oitavo ciclo levou às telas umas programação repleta de grandes filmes baseados em importantes livros da literatura mundial (como obras de Dostoievski, Mann, Kafka, Dickens, Shakespeare) e em obras de diferentes gêneros e estilos literários (Teatro, Romance, Jornalístico, Novela, Biografia).Ao pensar a resposta para a pergunta, avaliamos a importância de trazer filmes dirigidos por cineastas de renome como Kurosawa, Olivier, Ford, Lean e Welles para dar relevância a uma idéia comparativa entre livro e filme.

Evidentemente que se tratam de dois diferentes suportes artísticos. Cinema e literatura possuem cada qual suas características criativas e estilísticas próprias de cada arte. Mas sempre cabe ao leitor/espectador tecer sua fruição e comparar, quando do conhecimento de ambas, a fidelidade cinematográfica da adaptação de um livro.

A média de público foi de 37 pessoas por sessão. E a qualidade da grande maioria dos filmes apenas serviu para reforçar a idéia de que cinema e literatura podem ser usufruídas da melhor forma possível, quando o apreciador sabe captar e avaliar cada uma de sua maneira, sem preconceitos ou julgamentos de valor prévios.

Abaixo a programação:

23 de Novembro de 2006, 19h
Olga (Olga)
Direção: Jayme Monjardim.
Brasil, 2004, 140 min.
Com: Camila Morgado; Caco Ciocler; José Dumont; Eliane Giardini; Mariana Lima; Jandira Martini; Fernanda Montenegro; Guilherme Weber; Floriano Peixoto; Osmar Prado.
Comentários: Rafael Fantinel Lameira.
Sinopse: Baseado no livro de Fernando Morais. A obra é centrada na trajetória da judia alemã Olga Benário, da sua história de amor com Luís Carlos Prestes à sua luta coletiva por justiça social no Brasil. Mas sua história é marcada pela Segunda Guerra, e pela intervenção brasileira na sua deportação.
Macc Avaliação: 6

24 de Novembro de 2006, 19h
Policarpo Quaresma, Herói do Brasil (Policarpo Quaresma, Herói do Brasil)
Direção: Paulo Thiago.
Brasil, 1988, 124 min.
Com: Paulo José; Giulia Gam; Chico Díaz; Bete Coelho; Ilya São Paulo; Antonio Calloni; Othon Bastos; José Lewgoy.
Comentários: Roberto Borges Lisboa.
Sinopse: Baseado na obra de Lima Barreto. O major Policarpo Quaresma é um visionário patriota que deseja ver seu pais tão grandioso pode ser. A sua luta se inicia no Congresso e tem o apoio de sua afilhada Olga por quem nutre um afeto especial e Ricardo Coração dos Outros trovador e compositor de modinhas que conta a história desse herói do Brasil.
Macc Avaliação: 5

29 de Novembro de 2006, 19h
Great Expectations (Grandes Esperanças)
Direção: David Lean.
Inglaterra, 1946, 118 min.
Com: John Mills; Jean Simmons; Valerie Hobson; Alec Guinness; Tony Wager.
Comentários: Sonia Maria Cassol.
Sinopse: Baseado no romance de Charles Dickens. A história de um órfão (Mills) às voltas com a bela e fria Estella (Simmons), criada por uma senhora cruel que busca vingança contra os homens por ter sido abandonada à beira do altar.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Direção de Arte em Preto-e-Branco; Fotografia em Preto-e-Branco. Indicado: Filme; Diretor; Roteiro.
Macc Avaliação: 8

30 de Novembro de 2006, 19h
The Chronicle History of King Henry the Fifth with His Battell Fought at Agincourt in France (Henrique V)
Direção: Laurence Olivier.
Inglaterra, 1946, 133 min.
Com: Laurence Olivier; Leslie Banks; Harcourt Williams; Michael Shepley; Felix Aylmer; Robert Helpmann.
Comentários: Alexandre Maccari Ferreira; Júlio Ricardo Quevedo dos Santos.
Sinopse: Baseado em peça homônima de William Shakespeare. A obra é um épico-teatral que narra um episódio heróico na vida do Rei Henrique V: sua trajetória revela a pequena expedição que lutou em Angicourt contra a resistência francesa, na reivindicação do rei pela coroa da França.
Premiações: Academy Awards®: Prêmio Honorário (Laurence Olivier). Indicado: Filme; Ator (Laurence Olivier); Direção de Arte em Cores; Trilha Sonora.
Macc Avaliação: 8,5

1º de Dezembro de 2006, 19h
Le Procès (O Processo)
Direção: Orson Welles.
França/Itália/Alemanha/Iugoslávia, 1962, 119 min.
Com: Anthony Perkins; Jeanne Moreau; Romy Schneider; Elsa Martinelli; Suzanne Flon; Orson Welles.
Comentários: Adriano Sá Brito.
Sinopse: Baseado em obra de Franz Kafka. Numa certa manhã, um homem é preso e acusado de um estranho crime que não cometeu. A partir desse momento Joseph K. passa por uma série de provações em busca do entendimento do que lhe ocorrera.
Macc Avaliação: 8,5

11 de Dezembro de 2006, 19h
In Cold Blood (À Sangue Frio)
Direção: Richard Brooks.
Estados Unidos, 1967, 134 min.
Com: Robert Blake; Scott Wilson; John Forsythe; Paul Stewart; Gerald S. O’Loughlin; Jeff Corey.
Comentários: Daniel Paim.
Sinopse: Baseado no romance jornalístico de Truman Capote. O filme revela a história real do brutal assassinato da família Clutter no Kansas, em 1959, explorando a personalidade dos dois assassinos e os motivos que os levaram a cometer tal crime.
Premiações: Academy Awards®: Indicado: Diretor; Roteiro – Adaptado; Fotografia; Trilha Sonora. Golden Globes®: Indicado: Filme – Drama.
Macc Avaliação: 8

12 de Dezembro de 2006, 19h
Morte a Venezia (Morte em Veneza)
Direção: Luchino Visconti.
Estados Unidos/Itália, 1971, 130 min.
Com: Dirk Bogarde; Romolo Valli; Mark Burns; Nora Ricci; Marisa Berenson; Carole André; Silvana Mangano.
Comentários: Francele Cocco.
Sinopse: Baseado na obra de Thomas Mann. Gustav Aschenbach (Bogarde) é um compositor que está passando férias no exterior quando vive uma grande e secreta paixão, que modifica os rumos de sua vida.
Premiações: Academy Awards®: Indicado: Figurino. BAFTA: Melhor Figurino; Fotografia; Direção de Arte; Trilha Sonora. Indicado: Filme; Diretor; Ator (Dick Bogarde). Cannes Festival: Prêmio Especial do Aniversário de 25 anos do Festival (Luchino Visconti). Indicado Palma de Ouro.
Macc Avaliação: 8

13 de Dezembro de 2006, 18h20min.
Apocalypse Now Redux (Apocalypse Now Redux)
Direção: Francis Ford Coppola.
Estados Unidos, 1979, 202 min.
Com: Marlon Brando; Martin Sheen; Robert Duvall; Frederic Forrest; Sam Bottoms; Laurence Fishburne; Harrison Ford; Dennis Hopper; Scott Glenn; Albert Hall.
Comentários: Uiliam Ferreira Boff.
Sinopse: Inspirado no romance no Coração das Trevas, de Joseph Conrad. Esta versão possui 49 minutos adicionais da versão original. Capitão Willard (Sheen) recebe uma missão: matar um insano desertor, o Coronel Kurtz (Brando), que preparou uma tropa para atacar os próprios americanos.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Fotografia; Som. Indicado: Filme; Diretor; Edição; Ator Coadjuvante (Robert Duvall); Roteiro – Adaptado; Direção de Arte. BAFTA: Melhor Diretor; Ator Coadjuvante (Robert Duvall). Indicado: Filme; Ator (Martin Sheen); Fotografia; Edição; Design de Produção; Trilha Sonora. Cannes Festival: Palma de Ouro; Prêmio FIPRESCI (Francis Ford Coppola). César Awards: Indicado Filme em Língua Estrangeira. Golden Globes®: Melhor Diretor; Ator Coadjuvante (Robert Duvall); Trilha Sonora. Indicado: Filme – Drama. Grammy: Indicado Trilha Sonora.
Macc Avaliação: 9,5

14 de Dezembro de 2006, 19h
Hakuchi (O Idiota)
Direção: Akira Kurosawa.
Japão, 1951, 166 min.
Com: Toshirô Mifune; Setsuko Hara; Masayuki Mori; Takashi Shimura; Yoshiko Kuga; Chieko Higashiyama.
Comentários: Carlos Henrique Armani.
Sinopse: Baseado em obra de Dostoievski. Kameda (Mori) viaja para Hokkaido, onde envolve-se com duas mulheres, Taeko (Hara) e Ayako (Kuga). Taeko passa a amar Kameda, mas esta é amada por Akama (Mifune). Quando Akama percebe que nunca terá Taeko, seus pensamentos viram-se para o assassinato, e uma grande tragédia se monta. Filme complexo, mas representativo.
Macc Avaliação: 8,5

15 de Dezembro de 2006, 19h
The Grapes of Wrath (As Vinhas da Ira)
Direção: John Ford.
Estados Unidos, 1940, 129 min.
Com: Henry Fonda; Jane Darwell; John Carradine; Charley Grapewin; Dorris Bowdon; Russell Simpson; O.Z. Whitehead;
Comentários: Alexandre Maccari Ferreira
Sinopse: Baseado na obra de John Steinbeck. Uma família de trabalhadores rurais pobre durante a Grande Depressão de 1929, foge em busca de oportunidades de uma vida melhor. Tom Joad (Fonda), após cumprir pena, chefia a família de Oklahoma à Califórnia, onde dizem ser um lugar mais próspero e de maiores oportunidades. Durante a viagem eles se deparam com a nova realidade, ao mesmo tempo que descobrem que o lugar onde estão indo pode ser pior do que o que deixaram para trás.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Diretor; Atriz Coadjuvante (Jane Darwell). Indicado: Filme; Ator (Henry Fonda); Edição; Roteiro; Som.
Macc Avaliação: 9,5

ciclos-8

No próximo post o nono ciclo de cinema: animados pela história.

3º Ciclo de Cinema Histórico: Sangue no calor; Lágrimas no frio

Posted in Ciclo de Cinema Histórico, Cinema de Guerra, Cinema e Política, Documentário, Drama on 07/03/2009 by cinemacc

iii-ciclo

Lembro da estranheza que o título deste ciclo causou ao jornalista Claudemir Pereira, no programa CDN Entrevista da Rádio CDN. Diorge Konrad, coordenador do projeto, e eu estávamos participando da conversa quando surgiu algo do tipo: “Mas o que quer dizer Sangue no Calor; Lágrimas no frio“… “parece algo trágico e poético”, emendou o jornalista.

E na verdade, era realmente algo desse tipo mesmo… ou que pelo menos provocou muitas tragédias. O título refere-se aos filmes que tematizam a Guerra Fria, e alude justamente as muitas guerras (o tal sangue no calor) provocadas e geridas em salas de reuniões que defendiam os interesses políticos, econômicos e ideológicos (o lágrimas no frio), bancadas pelas duas grandes potências do período Estados Unidos e União Soviética.

O ciclo teve uma média de público de 28 espectadores, e centrou-se, basicamente, em produções norte-americanas, que mesmo assim, em sua maioria, possuíam uma crítica muito mais ampla dos acontecimentos relacionados ao período da Guerra Fria.

Abaixo a programação:

23 de Agosto de 2005, 19h
The Manchurian Candidate (Sob o Domínio do Mal)
Direção: John Frankenheimer.
Estados Unidos, 1962, 126 min.
Com: Frank Sinatra; Laurence Harvey; Janet Leigh; Angela Lansbury.
Comentários: Camila Maldaner.
Sinopse: Raymond Shaw (Harvey) é um herói da Guerra da Coréia. Mas ele e seu pelotão não conseguem se lembrar o que aconteceu para ele ter recebido tal condecoração. Bennett Marco (Sinatra) e um outro soldado, que faziam parte do pelotão, começam a ter pesadelos horríveis sobre alguns acontecimentos vividos durante a guerra. Marco então pesquisa sobre a vida atual de Shaw, e descobre que segredos podem estar guardados sob a memória perdida.
Premiações: Academy Awards®: Indicado Atriz Coadjuvante (Angela Lansbury); Edição. BAFTA: Indicado Filme em Língua Estrangeira. Golden Globes®: Melhor Atriz Coadjuvante (Angela Lansbury). Indicado: Direção.
Macc Avaliação: 9

25 de Agosto de 2005, 19h
Sayonara (Sayonara)
Direção: Joshua Logan.
Estados Unidos, 1957, 147 min.
Com: Marlon Brando; Patricia Owens; Red Buttons; Miiko Taka; Ricardo Montalban; Miyoshi Umeki; James Garner.
Comentários: Neida Ceccin Morales
Sinopse: Guerra da Coréia. O Major Lloyd Gruver (Brando) sempre foi contra o casamento entre militares americanos e mulheres japonesas. Até se apaixonar por uma dessas mulheres, ficando frente a frente com os tabus da época e os próprios preconceitos.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Ator Coadjuvante (Red Buttons); Atriz Coadjuvante (Miyoshi Umeki); Direção de Arte; Som. Indicado: Filme; Diretor; Ator (Marlon Brando); Fotografia; Edição; Roteiro – Adaptado. BAFTA: Indicado Artista Nova Promessa (Red Buttons); Golden Globes®: Melhor Ator Coadjuvante (Red Buttons). Indicado: Filme – Drama; Diretor; Ator – Drama (Marlon Brando); Atriz Coadjuvante (Miyoshi Umeki).
Macc Avaliação: 8,5

30 de Agosto de 2005, 19h
Fail-Safe (Limite de Segurança)
Direção: Sidney Lumet.
Estados Unidos, 1964, 111 min.
Com: Henry Fonda; Walter Matthau; Larry Hagman; Dan O’Herlihy.
Comentários: Luiz Eugênio Véscio
Sinopse: Grande suspense sobre o medo da bomba. Uma falha técnica nos aviões norte-americanos provocam o desencadeamento de uma ordem aos pilotos para que bombardeiem Moscou. Os eles não podem voltar atrás, uma vez que o “limite de segurança” foi acionado. Então o presidente dos Estados Unidos (Fonda) procura os meios necessários para impedir tal ato, o que pode ser uma tarefa impossível.
Premiações: BAFTA: Indicado Prêmio UN (Sidney Lumet).
Macc Avaliação: 8

1o de Setembro de 2005, 19h
Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb (Dr. Fantástico)
Direção: Stanley Kubrick.
Estados Unidos, 1964, 94 min.
Com: Peter Sellers; George C. Scott; Sterling Hayden; James Earl Jones; Tracy Reed.
Comentários: Thiago da Costa.
Sinopse: Humor negro sobre o medo da bomba. Um general insano, Jack Ripper, ameaça, durante uma reunião entre nações, neutralizar a União Soviética com bombas nucleares, o que poderia gerar uma destruição fulminante na Terra. Todos os outros membros fazem de tudo para evitar. Entre eles estão o Capitão britânico Mandrake, o presidente norte-americano Merkin Muffley e o Soviético bêbado Dr. Fantástico (todos interpretados por Sellers).
Premiações: Academy Awards®: Indicado: Filme; Diretor; Ator (Peter Sellers); Roteiro Adaptado. BAFTA: Melhor Filme; Filme Britânico; Direção de Arte em Preto-e-Branco; Prêmio UN. Indicado: Roteiro; Ator Britânico (Peter Sellers); Ator Estrangeiro (Sterling Hayden).
Macc Avaliação: 10

12 de Setembro de 2005, 19h
Casualities of War (Pecados de Guerra)
Direção: Brian de Palma.
Estados Unidos, 1989, 113 min.
Com: Michael J. Fox; Sean Penn; Don Harvey; John C. Reilly; John Leguizamo; Ving Rhames.
Comentários: André Fertig .
Sinopse: Durante a Guerra do Vietnã, uma garota vietnamita é levada de sua aldeia por cinco soldados norte-americanos. No meio do percurso, ela é violentamente estuprada. Mais tarde, esses soldados terão que responder pelo crime em um tribunal militar… mas um deles se negou a participar daquele infame episódio.
Premiações: Golden Globes®: Indicado Trilha Sonora.
Macc Avaliação: 8

13 de Setembro de 2005, 19h
The Fog of War: Eleven Lessons from the Life of Robert S. McNamara (Sob a Névoa da Guerra)
Direção: Errol Morris.
Estados Unidos, 2003, 107 min.
Com: Robert McNamara; Errol Morris (Narrador).
Comentários: Joél Abílio Pinto dos Santos.
Sinopse: Estruturado em lições, Robert S. McNamara, líder militar dos Estados Unidos durante um dos períodos mais conturbados, apresenta novos e curiosos fatos sobre o bombardeio de Tóquio, a crise cubana dos mísseis e a Guerra do Vietnã.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Documentário. Independent Spirits: Melhor Documentário.
Macc Avaliação: 9

21 de Setembro de 2005, 19h
Rambo III (Rambo III)
Direção: Peter MacDonald.
Estados Unidos, 1988, 103 min.
Com: Sylvester Stallone; Richard Crenna; Kurtwood Smith; Marc de Jonge.
Comentários: Taiara Souto Alves.
Sinopse: John Rambo (Stallone) vai até um mosteiro budista, procurando paz depois de tanto sofrer, tanto fisicamente quanto psicologicamente. Só que quando sequestram o seu mentor, ele se vê obrigado a ir atrás dos responsáveis e resgatá-lo, antes que seja tarde demais. Em meio a isso o apoio norte-americano ao Afeganistão.
Premiações: Razzie Awards Framboesa de Ouro: Pior Ator (Sylvester Stallone). Indicado: Filme; Diretor; Roteiro; Ator Coadjuvante (Richard Crenna).
Macc Avaliação: 2

22 de Setembro de 2005, 19h
Good Bye, Lenin! (Adeus, Lênin!)
Direção: Wolfgang Becker.
Alemanha, 2003, 118 min.
Com: Daniel Brühl; Katrin Saß; Chulpan Khamatova; Florian Lukas; Maria Simon; Alexander Beyer.
Comentários: João Júlio Gomes dos Santos Júnior; Jair Alan Siqueira.
Sinopse: Alex faz de tudo para que sua mãe continue vivendo em uma ilusória Alemanha Oriental – ela era admiradora do regime socialista, mas estava em coma quando esse foi suprimindo e ocorreu a reunificação alemã. Obra bastante original e que revela o avanço do capitalismo contra o socialismo.
Premiações: BAFTA: Indicado Filme em Língua Estrangeira. Berlin Festival: Prêmio Anjo Azul (Wolfgang Becker). Indicado Leão de ouro. César Awards: Melhor Filme da União Europeia. Golden Globes®: Indicado Filme em Língua Estrangeira.
Macc Avaliação: 9

ciclos-3

Amanhã: o 4º Ciclo – Sessões especiais de política.

Até breve!

2º Ciclo de Cinema Histórico: Grandes Guerras e… filmes

Posted in Ciclo de Cinema Histórico, Cinema de Guerra, Documentário, Drama on 06/03/2009 by cinemacc

ii-ciclo

O cinema de guerra tem um apelo bastante grande entre os historiadores, mesmo que muitos filmes convencionem tratar de uma guerra sob o prisma da ação, das batalhas e do conflito maniqueísta.

Há também, entretanto, cinemas de guerra realizados no cerne dos acontecimentos, e outros que refletem de maneira anti-bélica as motivações e causas que levam humanos lutarem contra humanos, na defesa de idéias e bandeiras.

O 2º ciclo primou pela exibição de películas que não são tão comuns em vídeo-locadoras e, portanto, restritas a muitos espectadores. Com grande audiência, média de 45 pessoas por sessão, as duas Guerras Mundiais são um tema de apelo popular, mesmo para aqueles que não gostam da guerra em si. Ainda assim, o cinema desse gênero detêm um grande número de fãs.

Eis a programação:

07 de Junho de 2005, 19h
All Quiet on the Western Front (Sem Novidades no Front)
Direção: Lewis Milestone.
Estados Unidos, 1930, 130 min.
Com: Louis Wolheim; Lew Ayres; John Wray; Arnold Lucy; Ben Alexander.
Comentários: Carlos Henrique Armani
Sinopse: Baseado no conto homônimo de Erich Maria Remarque. Sete patriotas estudantes alemães são convocados para as maravilhas da guerra. Porém, no campo de batalha, descobrem da pior maneira possível seus horrores, traumas e sofrimentos. O filme se destaca pelo pacifismo que prega, mostrando a loucura e a futilidade da guerra.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Filme; Melhor Diretor. Indicado Roteiro; Fotografia.
Macc Avaliação: 10

08 de Junho de 2005, 19h
La Grande Illusion (A Grande Ilusão)
Direção: Jean Renoir.
França, 1937, 117min.
Com: Jean Gabin; Erich von Stroheim; Dita Parlo; Pierre Fresnay; Julien Carette.
Comentários: William Padilha dos Santos
Sinopse: Durante a Primeira Guerra Mundial, num campo de prisioneiros na fronteira franco-alemã, as dificuldades levam homens antes inimigos a se unirem. Os gestos de solidariedade prevalecem sobre o conceito de nacionalidade e razões políticas. As ligações entre os dois oficiais inimigos parecem mais fortes que as de soldados de um mesmo exército.
Premiações: Academy Awards®: Indicado a Filme. Venezia Festival: Melhor Contribuição Artística (Jean Renoir). Indicado Mussolini Cup (Jean Renoir).
Macc Avaliação: 8,5

09 de Junho de 2005, 19h
Paths of Glory (Glória Feita de Sangue)
Direção: Stanley Kubrick.
Estados Unidos, 1957, 86 min.
Com: Kirk Douglas; Ralph Meeker; Adolphe Menjou; George Macready; Richard Anderson.
Comentários: Cristine Koheler Zanella
Sinopse: Um filme anti-guerra, com a qualidade do grande diretor Stanley Kubrick. Quando soldados franceses nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial recusam-se a continuar um ataque aparentemente impossível de se vencer, seus superiores resolvem levá-los à corte marcial, onde poderão ser julgados à morte.
Premiações: BAFTA: Indicado Filme Estrangeiro.
Macc Avaliação: 10

14 de Junho de 2005, 19h
The Great Dictador (O Grande Ditador)
Direção: Charles Chaplin.
Estados Unidos, 1940, 128 min.
Com: Charles Chaplin; Paulette Goddard; Jack Oakie; Reginald Gardiner; Henry Daniell.
Comentários: Carlos Blaya Perez
Sinopse: Aliando comédia e seriedade, Chaplin cria uma obra irônica, irreverente e atrevida ao fazer uso da paródia. Ele retrata a história entre o ditador Adenoid Hynkel (em clara referência a Hitler) e um barbeiro Judeu, expondo, de maneira inovadora, a crítica contra a guerra que se espalhava pelo Europa.
Premiações: Academy Awards®: Indicado Filme; Ator (Charles Chaplin); Ator Coadjuvante (Jack Oakie); Música; Roteiro Original.
Macc Avaliação: 10

16 de Junho de 2005, 19h
Triumph des Willens (O Triunfo da Vontade)
Direção: Leni Riefenstahl.
Alemanha, 1935, 110 min.
Com: Adolf Hitler; Josef Goebbels; Hermann Göring; Rudolf Hess; Heinrich Himmler.
Comentários: Rogério Ferrer Koff.
Sinopse: O filme documenta (e propagandeia) o congresso Nacional-Socialista alemão de 1934. Adolf Hitler é o protagonista da obra, sorrindo e sendo ovacionado pela multidão, em uma perspectiva gigantesca: paradas, desfiles monumentais e discursos para um público em total catarse. O filme impressiona e aterroriza pela moral e pelo tema, mas é indispensável pelo valor estético cinematográfico.
Macc Avaliação: 9

21 de Junho de 2005, 19h
Mrs. Miniver (Rosa de Esperança)
Direção: William Wyler.
Estados Unidos, 1942, 134 min.
Com: Greer Garson; Walter Pidgeon; Teresa Wright; Dame May Whitty; Henry Travers.
Comentários: Alexandre Maccari Ferreira.
Sinopse: Retrato da chamada Batalha Britânica sob a perspectiva de uma família de classe-média inglesa, que tem seu filho integrando a aviação da Inglaterra. Os trágicos efeitos do conflito, que se desloca em seu próprio jardim, evidencia que a guerra não é feita apenas por soldados mas por todos os habitantes. Realizado durante a Segunda Guerra o filme é um exemplo de propaganda e engajamento simbolizando esperança e positivismo.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Filme; Diretor; Atriz (Greer Garson); Atriz Coadjuvante (Teresa Wright); Roteiro; Fotografia em Preto-e-Branco. Indicado: Ator (Walter Pidgeon); Ator Coadjuvante (Henry Travers); Atriz Coadjuvante (Dame May Whitty); Efeitos Especiais; Edição; Som.
Macc Avaliação: 9

23 de Junho de 2005, 18h30min.
The Longest Day (O Mais Longo dos Dias)
Direção: Bernhard Wicki; Ken Annakin; Andrew Marton; Darryl F. Zanuck.
Estados Unidos, 1962, 178 min.
Com: Henry Fonda; Red Buttons; Richard Burton; Paul Anka; Sean Connery; Roddy McDowall; Robert Mitchum; Edmond O’Brien; Robert Ryan; George Segal; Rod Steiger; Robert Wagner; John Wayne.
Comentários: Roberto DeZorzi; Rondon de Castro.
Sinopse: Com pretensão histórica, o filme procura retratar a grande movimentação do que foi chamado de Dia D. Repleto de astros, a ofensiva colaborou para a retomada do oeste europeu, em especial a área invadida francesa, e a obra trata destes aspectos.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Fotografia em Preto-e-Branco; Efeitos Especiais. Indicado: Filme; Edição; Direção de Arte em Preto-e-Branco. Golden Globes®: Melhor Fotografia em Preto-e-Branco. Indicado: Filme – Drama.
Macc Avaliação: 8,5

24 de Junho de 2005, 19h
Ballada o Soldate (A balada do Soldado)
Direção: Grigori Chukhrai.
União Soviética, 1959, 88 min.
Com: Vladimir Ivashov; Zhanna Prokhorenko; Antonina Maksimova; Nikolai Kryuchkov.
Comentários: Alisson Severo de Moura.
Sinopse: Durante a Segunda Guerra, um garoto é abandonado nos campos de batalha, sendo caçado por quatro tanques nazistas. Mas, incrivelmente, ele destrói dois, recebendo uma condecoração, que troca por uma semana de licença para visitar sua mãe. Esse caminho de volta é o elemento essencial na compreensão do filme.
Premiações: Academy Awards®: Indicado Roteiro Original. BAFTA: Melhor Filme em Língua Estrangeira. Indicado Ator Estrangeiro (Vladimir Ivashov). Cannes Festival: Indicado Palma de Ouro.
Macc Avaliação: 8,5

28 de Junho de 2005, 18h30min.
Patton (Patton: Rebelde ou herói?)
Direção: Franklin J. Schaffner.
Estados Unidos, 1970, 169 min.
Com: George C. Scott; Karl Malden; Stephen Young; Michael Strong; Morgan Paull.
Comentários: Vitor Otávio Fernandes Biasoli.
Sinopse: General Patton é ao mesmo tempo um grande estudioso de guerra e um estrategista de campo, fazendo o possível para manter o controle e vencer as batalhas. Sua trajetória é retratada com riqueza de detalhes desde sua ação na África, passando pela Itália até a Alemanha.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Filme; Diretor; Ator (George C. Scott); Edição; Direção de Arte; Roteiro Original; Som. Indicado: Fotografia; Efeitos Visuais; Trilha Sonora. BAFTA: Indicado Ator (George C. Scott); Som. Golden Globes®: Melhor Ator (George C. Scott). Indicado Filme – Drama; Diretor.
Macc Avaliação: 9

30 de Junho de 2005, 19h
Into the Arms of Strangers: Stories of the Kindertransport (Nos Braços de Estranhos – Histórias do Kindertransport)
Direção: Mark Jonathan Harris.
Estados Unidos, 2000, 118 min.
Com: Lorraine Allard; Lory Cahn; Mariam Cohen; Judi Dench (Narradora).
Comentários: Fabricio Flores Fernandes.
Sinopse: Documentário que retrata a história das crianças judias que foram entregues pelos pais para que vivessem na Inglaterra, poucos anos antes do início da 2ª Guerra Mundial.
Premiações: Academy Awards®: Melhor Documentário.
Macc Avaliação: 8,5

05 de Julho de 2005, 19h
Senta a Pua! (Senta a Pua!)
Direção: Erik de Castro.
Brasil, 1999, 112 min.
Com: Brigadeiro Corrêa Netto; Brigadeiro Rui Moreira Lima; Brigadeiro Meira; Brigadeiro Neiva; Brigadeiro Joel Miranda
Comentários: Oscar de Oliveira Siqueira.
Sinopse: Um dos poucos filmes que mostram a atuação do 1º Grupo de Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira, durante a campanha na Itália, na Segunda Guerra Mundial. O tom do documentário é de nostalgia dos ex-pracinhas, que são tratados como heróis.
Macc Avaliação: 8

07 de Julho de 2005, 19h
Roma, Città Aperta (Roma, Cidade Aberta)
Direção: Roberto Rossellini.
Itália, 1946, 97 min.
Com: Aldo Fabrizi; Anna Magnani; Marcello Pagliero; Vito Annichiarico; Nando Bruno.
Comentários: Glaucia Vieira Ramos Konrad.
Sinopse: Filme emblemático do Neo-Realismo italiano. Entre 1943 e 1944, Roma, sob a ocupação nazista, é declarada uma “cidade aberta”, para evitar bombardeios aéreos. Nas ruas, comunistas e católicos deixam suas diferenças de lado para combater os alemães e as tropas fascistas.
Premiações: Academy Awards®: Indicado Roteiro. Cannes Festival: Grande Prêmio do Festival (Roberto Rossellini).
Macc Avaliação: 9

ciclos-2

Amanhã o 3º Ciclo de Cinema Histórico: Sangue no Calor; Lágrimas no Frio!

Defiance: uma revolta a mais na Segunda Guerra

Posted in Cinema de Guerra, Oscar 2009 on 24/02/2009 by cinemacc

defiance

Defiance (Um Ato de Liberdade, EUA, 2008) Direção: Edward Zwick. Roteiro: Edward Zwick; Clayton Frohman. Fotografia: Eduardo Serra. Música: James Newton Howard. Elenco: Daniel Craig; Liev Schreiber; Jamie Bell; Alexa Davalos; George MacKay; Alan Corduner; Mia Wasikowska.

1 Indicação Academy Awards®: Trilha Sonora.

1 Indicação Golden Globes®: Trilha Sonora.

 

Edward Zwick é um desses diretores que prezam por enfatizar a qualidade histórica de seus filmes. Sua preocupação mais recorrente é com o tema da liberdade e da redenção. Suas principais obras são Tempo de Glória (1989, cujo tema é a formação do primeiro regimento negro durante a Guerra de Secessão), O Último Samurai (2003, sobre a luta entre samurais e as tropas do imperador Meiji) e Diamante de sangue (2006, que trata dos problemas sociais em Serra Leoa). Este Um Ato de Liberdade segue o propósito da luta contra a opressão, mas o terreno agora é a Segunda Guerra Mundial.

No entanto, a maior qualidade do diretor é também o seu maior defeito. Já que suas obras soam como um déjà vu. A estrutura dos filmes se assemelham e, inclusive, há passagens que são meras cópias cinematográficas – quase auto-plágios. Exemplo disso são as cenas de treinamento existentes tanto no filme sobre a Guerra da Secessão, quanto no de samurais… e, também, neste sobre o conflito da Segunda Guerra.

Mas, ainda que exista esse problema de concepção artística por parte do diretor, suas obras em geral são sempre acima da média. E Um Ato de Liberdade é um bom retrato de um evento ainda pouco explorado, mesmo em se tratado do conflito mundial ocorrido entre 1939 e 1945: o avanço nazista sobre a União Soviética, em especial na Bielo-Rússia, que é o campo de batalha enfocado.

A produção, baseada no livro de Nechama Tec Defiance: the Bielski Partisans, é inspirada em fatos. Filmada na Lituânia, os diálogos seguem basicamente o russo e o inglês (com sotaque) e as cenas são grandiosas nos planos de combate e nos conflitos dos personagens em busca da fuga.

O filme começa em 1941, e trata da história de três irmãos Bielski, Tuvia (Daniel Craig), Zus (Liev Schreiber) e Asael (Jamie Bell), judeus que fogem da Polônia ocupada pelas tropas nazistas. Mas as suas lutas vão além da simples fuga. Eles preocupam-se em ajudar outros judeus perseguidos, montando um acampamento em meio a uma floresta na Bielo-Rússia, com a finalidade de combater os alemães. Esse ato de coragem e resistência atravessa várias complicações, como brigas entre irmãos e desconfiança entre os acampados.

Um elemento que colabora tanto positivamente quanto de forma negativa é a ação da força de resistência soviética, no caso os partisans (um membro de uma tropa irregular formada para se opor à ocupação e ao controle estrangeiro). Zus, descontente com o comando de Tuvia, junta-se a luta dos soviéticos enquanto os demais ficam no acampamento. Os partisans são mostrados de maneira negativa, parecendo um bando reunido sem objetivos e fora de controle, como o filme leva a crer nos desfecho.

Uma frase de Tuvia guia a trama: “nossa vingança é viver”. Isso aliado a uma clara menção ao Pessach, a páscoa judaica (que celebra e recorda a libertação do povo de Israel do Egito, conforme narrado no livro de Êxodo) tornam a obra de Zwick um campo de reflexão acerca do que foi, ainda que já bastante discutido, o holocausto para uns ou shoah para outros. Essa sequência da travessia é indubitavelmente a mais bela do filme, uma vez que fotografia e trilha sonora colaboram para torná-la verossímil e tocante.

Enfim, vale a pena ver Um Ato de Liberdade? Sim, vale. Mas procure assistir livre das antevisões dos outros filmes de Zwick, e sem associá-lo ao grupo de grandes filmes sobre holocausto, porque cada um destes filmes tem um olhar sobre o assunto, ainda que, em geral, todos definham para o mesmo fim… e para saber se Um Ato de Liberdade percorre essa trajetória você deverá vê-lo.

Assim, um até breve!

Macc Avaliação: 8

The Reader e um segredo a mais da Segunda Guerra

Posted in Cinema de Guerra, Drama, Oscar 2009 on 21/02/2009 by cinemacc

the-reader

The Reader (O Leitor, EUA/ALE, 2008). Direção: Stephen Daldry. Roteiro: David Hare. Fotografia: Chris Menges; Roger Deakins. Música: Nico Muhly. Elenco: Ralph Fiennes; Kate Winslet; David Kross; Jeanette Hain; Lena Olin; Bruno Ganz.

5 Indicações – Academy Awards®: Filme; Direção; Atriz (Kate Winslet); Fotografia; Roteiro Adaptado.

4 Indicações – Golden Globes®: Filme – Drama; Direção; Atriz Coadjuvante (Kate Winslet); Roteiro.

 

Há um aspecto muito importante ao se descobrir o filme O Leitor. Trata-se de um exemplo de produção cujos produtores foram grandes também diretores e faleceram antes do filme ser lançado: estamos falando de Sidney Pollack e Anthony Minghella. Essa trágica coincidência pode ter dado relevo à obra de Stephen Daldry no que se refere ao quesito premiações, já que se trata de uma homenagem, de forma merecida, ao trabalho desses diretores que também deixaram seus nomes gravados no universo da produção.

Mas vejamos o que O Leitor nos oferece. A obra é uma adaptação do romance homônimo (Der Vorleser) do escritor alemão Bernhard Schlink e tematiza um assunto bastante recorrente em produções cinematográficas: a questão do holocausto e as heranças da Segunda Guerra Mundial.

A obra se desenrola em dois grandes planos. O primeiro se passa no ano de 1995, quando Michael Berg (Ralph Fiennes) é apresentado como um advogado bem-sucedido, e o segundo ocorre em forma de suas lembranças na Alemanha, após a Segunda Guerra Mundial. A obra vai remontando ao caso de verão entre o jovem Michael (David Kross) e uma mulher mais velha, Hanna Schmitz (Kate Winslet), até o posterior reencontro deles dez anos depois, em um julgamento no qual ela é acusada de um crime de guerra.

A técnica empregada das leituras acompanhadas pelo furor da paixão dos amantes, desperta uma interessante carga de sensualidade, que são fundamentais para a compreensão narrativa da obra, já que o amor e a memória acompanha suas trajetórias.

Nesse ponto é que reside um problema de O Leitor: a frieza narrativa da trama. Há uma ausência de clímax durante o julgamento de Schmitz, ponto-chave da história que nos leva a descortinar os segredos e as culpas da protagonista. Porém, esse segredo que ela guarda é por demais previsível conforme a lógica conduzida pelo diretor. O que não descaracteriza a qualidade da história, bastante acima da média em se tratando de um Drama com raízes na Segunda Guerra Mundial.

A atuação de Kate Winslet, que vejo enquanto protagonista e não como coadjuvante como algumas das premiações que concorreu apontaram, é dosada e guarda os segredos e as feridas de uma mulher amargurada. Sua beleza desnuda narra muito da obra, pois podemos ver as marcas físicas de uma pessoa, mas não sua essência. E o diretor explora bastante isso na primeira hora de filme.

Stephen Daldry é correto no sentido técnico, justamente por investigar as complexidades da culpa, evidenciando as questões da sociedade guiada pela moralidade, mostrando os medos e segredos escondidos pelo tempo. A carga emocional possui um tom sombrio, próprio daqueles que admitem a culpa, mas o filme é um tanto previsível na busca das soluções.

Então, desvende esse segredo, e até breve!

Macc Avaliação: 8,5

Tarantino visita a Segunda Guerra

Posted in Cinema de Guerra, Preview on 21/02/2009 by cinemacc

Olá amigos,

Atenção! O novo Tarantino vem aí: Inglorious Basterds (Bastardos Inglórios, EUA/ALE, 2009) com estréias previstas em maio no Festival de Cannes e no circuito mundial em 19 de Agosto na França, 21 de Agosto nos Estados Unidos e 16 de Outubro no Brasil.

inglourious_basterds

A obra retrata um grupo de soldados norte-americanos (de origem judaica) enviados a uma missão suicida durante a Segunda Guerra Mundial na França ocupada pela Alemanha nazista. A tarefa deles é “simples”: assassinar soldados de Hitler da forma mais cruel possível, causando terror e medo no front. Muito sangue e violência é óbvio que se espera, além do estilo pop-explosivo-tarantinesco. No elenco estão o astro Brad Pitt, e os atores alemães Diane Kruger (de Tróia), Til Schweiger (de Rei Arthur) e Daniel Brühl (de Adeus, Lênin).

Versão nacional do poster de Inglorious Basterds

Versão nacional do poster de Inglorious Basterds

Sou um admirador do trabalho desse diretor. Postaremos em breve uma retrospectiva sobre suas obras.

Então, enquanto estamos no aguardo, confira o primeiro trailer de Inglorious Basterds.

Macc Expectativa: 9,5